TEMAS

quinta-feira, março 27, 2008

Teatro ou ... «my mental condition is illegal»

Está aí uma arte que ainda não esgotou todas as suas possibilidades. Uma pessoa está à beira da loucura e porque leu uma obra de Beckett que lhe sussura «podes aproveitar isso» ou uma frase de Nietzche que lhe segreda aos ouvido «a loucura é rara nos indivíduos mas que é norma nas colectividades» resolve, por isso, subir para palco e terapiar-se em meia ou uma hora. Mas há técnicas que é preciso aprender - a colocação de voz, o timbre, a postura corporal, o controlo de si e do público, etc, etc. Já vi muito teatro por aí que não é exactamente o que se prega á volta disso. «Será isso teatro!?» Quantas vezes fazemos essa pergunta ao sair de um espectáculo. Bem, «tudo é teatro» - responderá certamente alguem com bom senso. Não é por acaso que certos criadores têem aproveitado dos loucos e doentes mentais para a sua criação inserindo-os em contexto alheios aos estabelecimemto psiquiátricos. E as prisões? O que se faz com o facto de hoje em dia sentirmo-nos prisioneiros, refens das pessoas sem que tenhamos físicamente correntes ou mordaças . Que teatro se pode fazer apartir disso? Há algum que tenha já sido feita na cidade da Praia? Ah, espera aí não há nenhum teatro ou cinema a funcionar no país. Com o actual estado do mundo e neste tempo de lobos o teatro não deveria funcionar a tempo inteiro em várias sessões diárias para todas as idades e mentalconditions ? Ou estarei enganado? Mas não sou eu quem poderia dizer mais sobre o assunto até porque, a meu ver, alguem já disse tudo o que precisamos saber sobre as origens do teatro. E não é nenhum historiador ou director teatral. Basta ler as obras de Michel Foucault.

2 comentários:

João Branco disse...

Caro: só agora, com bastante atraso, li este (interessante) texto. O teatro é, sem dúvida, a arte das (im)possibilidades, do não limite, da não barreira, e que, por integrar nela quase todas as outras formas de expressão artistica (artes plasticas, arquitectura, musica, expressão corporal, etc, etc) maior é a responsabilidade de ter uma formação qb, isto é, conhecimento técnico. Quanto mais poderosa a arma, maior a necessidade de conhecimento para bem explorá-la, não é?

Geralmente, quem diz que «tudo é teatro» ou entende muito pouco, ou faz muito pouco. Abraço fraterno, João Branco, directamente do Mindelo, uma cidade orgulhosamente teatral!

MÁRIO V. ALMEIDA disse...

Meu caro João: esperemos que algum dia se perceba a tênue linha diferencial entre uma cidade «orgulhosamente teatral» de qualquer outra que lhe feche as portas: ao teatro. Um brinde, caro.