TEMAS

quinta-feira, setembro 22, 2011

Coisas inevitáveis!

Aristides Maria Pereira, enquanto 1.º Presidente da República de um país libertado como Cabo Verde teve a tarefa mais difícil de todos os presidentes cabo-verdianos, pois tinha que lidar com uma terra com um clima difícil para o desenvolvimento da agricultura, actividade primária indispensável ao sustento de uma economia que pretendia emergir do nada. Ele, praticamente, teve que "pedir" para todos nós o que, em termos diplomáticos, equivale a dizer "negociações a fundo perdido". O que Cabo Verde tinha a dar, nessa altura? Nada. Só um povo jovem, inteligente e ávido de saber, tinha Aristides Pereira, como «garantia», para «negociar». Tal como os primeiros grandes líderes, saídos da independência dos países africanos, ele teve que viajar para todos os cantos do mundo, mas não o fez para engordar a sua conta bancária, contrariamente às outras figuras históricas que se degeneraram em ditadores monstruosos dessa África libertada.

Se Amílcar Cabral é o arquétipo do que se entende por «herói» clássico, Aristides Pereira é a personificação do «herói» moderno que, ciente das suas fragilidades, fez dela a sua maior força. Isso é o panteão dos notáveis.

Inevitável!

terça-feira, setembro 20, 2011

Coisas que já vêm tarde!

A taxação dos mais ricos, pelo Presidente Barack Obama, retirando-lhe isenções fiscais revela liminarmente as reais injustiças do progresso económico-financeiro que podem estar no fundo civilizacional (sobre esse assunto basta ver o documentário ultra-moderno "Zeitgeist"). A firme determinação do Presidente de que não pode admitir que um cidadão comum norte-americano pague um imposto de 15% sobre os seus rendimentos se os ricos não o fizerem, também, na mesma taxação, é uma posição clarividente que lança um "facho de luz" sobre uma longa amnésia da história, que favorece os mais ricos e afunda os mais pobres. Esse plano de taxação é das coisas que já vem tarde.

O endurecimento da lei de porte de armas ligeiras é outra das coisas que já vem tarde, como o referiu Carlos Veiga, recentemente. Aliás, isso é algo gritante, face à constante leva de assassinatos de jovens na capital do país: jovens que, por vezes, não são suficientemente homens para matar mas somente impelidos pelo ódio e movidos pela facilidade do disparo, sem nenhuma ponderação.

O Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica prevê chuva para esta semana em Cabo Verde, mas, infelizmente, isso é daquelas coisas que, como uma sina milenar , já vem tarde para garantir um bom ano agrícola.

HOMENAGEM A LEÃO LOPES NO BRASIL

Dr. Leão Lopes, o "pai" da moderna cultura audiovisual cabo-verdeana, realizador e escritor, é laureado com o Troféu Humberto Mauro. Aqui.

"Toda a gente deve estar lembrada daquela “conheço Felini, conheço Kurosawa, mas quem é Leão Lopes”? O mal dissente que parecia conhecer estes grandes nomes do cinema, afinal não conhecia nada. A única verdade contida nessa diatribe era que de facto não conhecia Leão Lopes. Porque se o conhecesse tinha tudo para o aproximar da história destes criadores, que tal como Leão Lopes, fizeram um dia o seu primeiro filme; tal como Leão Lopes, foram artistas plásticos antes do cinema e continuaram sendo; que os três entraram no cinema pelos mesmos caminhos. Mas Leão Lopes tinha tudo a perder; não nasceu na Itália, nem na China. Pagou caro por ter ousado fazer um filme na sua terra. Pena é que nunca tenha sido possível fazer-se a estreia do filme na Praia, nem nunca a nossa televisão passou a série que produzi para esse formato e realizado em simultâneo ao filme, de 3 episódios de 50 minutos cada. Os cabo-verdianos nem sabem que “Ilhéu de Contenda” foi premiado algumas vezes lá fora, incluindo no Fespaco (melhor música), que teve sua banda sonora editada, entre outras apreciações que mereceu durante a seu percurso."

Leão Lopes (numa entrevista concedida a este blogue, em 2010).

segunda-feira, setembro 12, 2011

“Trompe D’Oeil” - Video– Ficção – 08’32’’ (Praia. 2009)

Nesta curta-metragem vídeo (ficção), de 2009, produzida sem nenhum orçamento, o realizador Mário V. Almeida, utiliza os recursos estilísticos de documentário. O assunto parodia o acto terrorista de 11 de Setembro, contra o World Trade Center, visto enquanto um fenómeno de repercussão global que mantem uma relação remota com todos os actos bárbaros de destruição. Decorre, igualmente, em torno da questão da visibilidade e do alcance que os sonhos, e sua projecção, têm nas nossas vidas.

video

sexta-feira, setembro 09, 2011

JORGE CARLOS FONSECA EMPOSSADO COMO PRESIDENTE DA REPÚBLICA DE CABO VERDE

Foto: Liberal On Line

O discurso de Jorge Carlos Fonseca no acto de empossamento é um sinal claro e inequívoco do Poder que vai passar a exercer de ora em diante. Todas as referencias foram apontadas, num estilo directo, incisivo e académico, como é seu timbre. Trata-se de um discurso que deve ser incorporado / assimilado por todos os cidadãos que assim poderão acompanhar a par e passo as peripécias do governo e da própria presidência. É também um discurso que deve ser estudado depois da sua alocução porque, depois de escrito e lido para uma audiência, pertence a todos.

terça-feira, setembro 06, 2011

ESTES JOVENS PERDERAM A FÉ!

Há dias tive numa conversa taciturna com o meu sobrinho de 17 anos. Ele foi apunhalado quatro vezes em plena luz do dia quando ia ao encontro da namorada. Três jovens, da mesma idade que ele, aguardavam-no num beco do Bairro empunhados cada um de uma arma branca e de um boca bedju que não chegou a ser disparado, porque alguém gritou «por favor, aqui não!». Ferido e mal pago foi parar ao HAN inconsciente, levado por umas freiras. Esteve a contar-me como foi e quando lhe confrontei com a questão «mas porquê?» ele foi lacónico: «queriam aquilo que é meu e não lhes dei!» (disse isso como se confirmasse uma verdade há muito esquecida). «E o que é que eles queriam?» repliquei. «Os meus tênis Nike». Esses putos já matam por umas "míseras" sapatilhas! Nos EUA, que há muito deixou de ser só um lugar na terra, ou num cenário de guerra encarniçada e irracional, até se compreende que tal fenómeno aconteça, mas aqui em Cabo Verde temos que ir mais a fundo para compreender melhor. Já nem se trata de querer a todo o custo um bem ou um produto. Já não é só cobiça. È que esses putos que o atacaram dividiam antes, na mesma casa da zona, a panela de arroz e cachupa que a minha pobre irmã preparava para todos. Estamos a lidar com algo completamente novo! Anteontem um desses jovens, pertencente a um outro bairro, foi baleado enquanto comia à porta da casa. Algo errado e miserável anda a acontecer! Algo profundamente mau aos olhos cristãos! 

E não me atrevo a equacionar nenhuma causa ou efeito. Porque já não se trata de Ciência. Estes jovens perderam a Fé! Pura e simplesmente! Para mim faz mais sentido, para o que se passa, falar em Bem e Mal do que apontar possíveis causas económicas, sociais ou políticas. Eu não vejo nenhum efeito imediato entre querer umas sapatilhas e matar por elas, senão a voz ancestral do Mal, tal como é contada na Bíblia, sem tirar nem pôr. Eu, que até gosto da Ciência, não quero desmistificar essa ideia do Mal. Seria demasiado perigoso para a humanidade se reduzirmos essa questão a um conjunto de preceitos psicológicos ou socializantes. Não se trata de nenhuma regressão de carácter medieval mas de saber o que se deve ou não se deve fazer num ser humano. Estes putos passam horas na internet e não acertam  com www.thewaytohappiness.org que até faz questão de dizer que não é religioso (para quem já desconfia das religiões!) mas sim, e apenas, a common sense guide to better living.  

Foto: Carlos Santos - 20 anos (Liberal On Line)

sexta-feira, setembro 02, 2011

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS NA TV: O PRODUCER.

                                           Filtro: Glowing Edges (Adobe Photoshop CS3)

 A figura domi­nante no actual panorama de produção televisiva é a do programador e responsável de conteúdos: o Producer. Actualmente, face à enorme necessidade de gerar uma mul­tiplicidade de conteúdos, se impõe o valor emergente desta espécie de produtor-gestor que deve ter uma forte componente de criatividade. Essa figura, para além de gerir inteligente­mente os projectos, traz os valores singulares aos novos produtos, gera ideias para produzir com agilidade e destreza novos formatos de não-ficção.
O seu perfil profissional atesta-se pela sua capacidade de desenvolver um projecto até a sua difusão, na sólida formação dos processos de produção vídeo e televisivo, na capacidade de implementação das tecnologias digitais, no processo de aquisição e pos-produçao, nos sólidos conhecimentos da narrativa e linguagem audiovisual, assim como no facto de estar na posse conhecimentos do funcionamento do mercado audiovisual, dos sistemas de financiamento, de regulações das normas jurídicas e direitos de propriedade.

quinta-feira, setembro 01, 2011

180º: A mais longa publicidade na história da televisão caboverdeana

Olhemos, em 2009, para esse objecto televisivo de elevado teor publicitário ou o programa que quis ser o mais polémico da história da nossa televisão: o 180 graus com Abrãao Vicente. Esse foi, talvez o único talk show, digno desse nome, a ser produzido pela TCV, apesar de não haver uma banda de serviço, nem gags acompan­hados de risos de plateia, tendo-se pautado, antes, por uma sátira política e por um tipo (raro) de revisionismo da cultura e arte nacional. Apresentado em prime-time, o aspecto essencial do programa teve a ver com o facto de se ter publicitado muita gente e ter-se aproximado do modelo de fazer televisão comparável a das networks norte-americanas. Intraduzível se tornou, a determinada altura, o desenrolar das conversas e das atitudes que se assistiram no programa, funcionando mais a adrenalina publicitária que necessitava para poder avançar [em vez duma análise aprofundada dos assuntos]. Essa adrenalina não provinha do nível de discussão dos assuntos nela abordados mas, pre­cisamente, da novidade do programa e da áurea de polémica que pairava nele. O seu encerramento, que ficou envolto em mistério deveu-se, provavelmente, à perda dessa adrenalina.